Aprenda A Improvisar - O Guia Definitivo

Tudo o que você precisa saber para elevar o seu poder de improvisação

ADQUIRA JÁ O SEU CURSO GRATUITAMENTE!

privacy Detestamos SPAM tanto quanto você!

shadow-ornament

Confira O Conteúdo Completo Das Vídeo-Aulas Principais

Trata-se de um curso completo, com teoria e técnicas de improvisação, sem equivalente no mercado atual.

Curso contendo livro didático e 40 vídeo-aulas, gravadas em estúdio digital com vídeo e áudio de alta resolução (HD). Aprenda definitivamente como obter sucesso ao improvisar.

Módulo 1 - Campo Harmônico Maior

  • Campo Harmônico Maior

    Nesta vídeo-aula vamos aprender a estruturação do campo harmônico maior com tonalidades diferentes, para que possamos fazer a análise de acidentes envolvidos em cada um deles. Você ficara surpreso com a nomenclatura obrigatoriamente usada em alguns acordes.

  • Mapeando o braço

    Que tal melhorar o seu domínio no instrumento? Nesse vídeo aprenderemos a localizar qualquer Campo Harmônico maior partindo de cordas soltas, facilitando assim nossos improvisos.

  • Improvisação Tonal

    Essas improvisações se mantém dentro dos acordes do campo harmônico, ou seja, não trabalha com nenhum acorde de empréstimo, vamos estudar e ver como tirar o melhor som disso?

  • Notas Para Repouso

    A coisa agora está ficando um pouco mais séria, nesse vídeo iremos aprender a localizar os acordes dentro das escalas, sendo assim podemos fazer nosso repouso em cada grau do acorde que está sendo usado na harmonia.

  • Exemplos Para Divisões Rítmicas

    O seu improviso tem sido com a mesma “cara”? Aquela sensação de tudo igual? pois bem, vamos aprender nesse vídeo como aplicar o swing feel de forma eficiente para trocar as rítmicas usadas em nossos improvisos.

  • Padrões Melódicos

    O padrão como o próprio nome já diz, são formas padronizada de tocar as escalas, conseguimos com isso tirar aquela sensação do “sobe e desce” dentro das digitações.

Módulo 2 - Pentatônicas

  • Escala Pentatônica

    E finalmente chegamos na escala mais conhecida tanto por nome como sonoramente falando. É uma escala muito comum pela força e energia que envolve a mesma, fácil aplicação de bends e totalmente aplicada na maioria dos estilos musicais.

  • Aplicação Da Pentatônica

    Vamos analisar quais as melhores formas de aplicação dessa escala, localizando outras possibilidades com base no Campo Harmônico maior, extraindo assim sonoridades incríveis para essa escala.

  • Pentatônica Blues

    Vamos conhecer as digitações da escala, entender a origem do grau adicionado, melhor aplicação, notas para repouso e notas a evitar.

  • Aplicação Modal Para Pentatônicas

    Que tal pensarmos em três tons diferentes para tocar um blues? Essa sonoridade é conseguida devido ao pensamento modal, ou seja, estaremos modulando nossa tonalidade para conseguirmos sensações diferentes no improviso.

Módulo 3 - Arpejos

  • Escalas por CAGED

    Vamos aprender as escalas geradas pelo sistema cinco, inversões de escalas pensando em modelos gerados nas construções básicas dos acordes.

  • Aplicação Modal Por Região

    O objetivo desse vídeo é simplesmente a assimilação das digitações, tomaremos como base uma progressão totalmente impraticável na música, usaremos somente para o quesito “treino” e assimilação das escalas.

  • Arpejos por tríades

    Vamos conhecer os Arpejos, que são acordes tocamos com seus graus sequenciais de forma melódica, nessa aula vamos trabalhar com as 4 qualidades mais comuns que encontramos na música. Maior, menor, aumentada e diminuta.

  • Arpejos por tríades no CAGED

    As digitações básicas estudadas no vídeo anterior agora serão aplicadas nos cinco modelos de acordes extraídos no CAGED, conseguimos dessa forma opções de arpejos para regiões diferentes do braço do instrumento.

  • Assimilação E Extensão

    Nesse vídeo tocaremos exercícios de assimilação para melhorar a digitação das escalas e também vamos localizar a aplicação de arpejos sobrepostos, conseguindo assim extensões na sonoridade desses arpejos.

  • Arpejos por Tétrades

    Vamos empilhar mais uma terça? Não entendeu? Tenho certeza que esse vídeo será muito útil para ti então. Nesse vídeo iremos conhecer arpejos com quatro notas e suas possíveis qualidades de acordes.

  • Aplicação Por Região (Assimilação)

    Com o intuito de melhorar o raciocínio sobre as digitações, nesse vídeo proponho tocarmos campo harmônicos inteiros mantendo a mesma região, passando assim por diversos modelos do sistema 5.

  • Aplicação Dos Arpejos

    Vamos então usar de forma bem funcional e inteligente os arpejos no braço da guitarra, iremos analisar um contexto harmônico e pensar nas sobreposições para conseguirmos extensões interessantes na sonoridade.

Módulo 4 - Modos Gregos

  • Modos Gregos

    Qual guitarrista nunca ouviu falar nos famosos “Modos Gregos”? pois bem, nesse vídeo vamos entender de onde vieram suas inversões e quais acidentes podemos ter com cada uma delas.

  • Fórmula Dos Modos Gregos

    Como estudado anteriormente os modos são inversões de uma escala, porem quando invertemos, nós alteramos a fórmula das escalas. Essas formulas são de vital importância para conseguirmos melhor utilização dos modos.

  • Digitações

    Com os dois tópicos anteriores bem estudos as digitações serão bem simples nesse momento, pois já temos o intervalo de cada modo em nossa cabeça, isso facilita muito na hora de passarmos para o instrumento e digitarmos de forma mais eficaz. Vamos conhecer as digitações.

  • Exercício Para Execução

    Com o intuito de melhorar nossa fluência nas digitações eu criei uma sequência para a execução dos modos, onde estaremos ligando as digitações tornando-a assim mais fácil a visualização das escalas.

  • Aplicação Tonal

    A aplicação tonal consiste em improvisarmos sem se preocupar com possíveis acordes de empréstimo que possam aparecer na cadencia. Chamamos de tonal, justamente pelo fato de não termos modulações na música.

  • Aplicação Modal

    Diferente da tonal, podemos ter escolhas com diferentes intenções para o improviso. Isso nos leva a utilização de campo harmônicos diferentes, a fluência dessa aplicação costuma ser mais complicada, porem a sonoridade compensa nosso esforço.

  • Notas Características

    Sabe aquele intervalo que só aquele modo tem? Aquela extensão exclusiva do modo Lídio? É isso aí, nesse vídeo vamos conhecer as notas que caracterizam cada modo e como podemos usar isso para caracterizar nossa sonoridade.

  • Acordes Modais

    Acabamos de estudar no vídeo anterior as notas que caracterizam cada modo, vamos agora adicionar essas notas nas tétrades relacionadas a cada grau do campo para gerarmos “acordes característicos”, chamamos de acordes modais.

Módulo 5 - Campo Harmônico Menor Harmônico

  • Campo Harmônico Menor Harmônico

    Bem-vindos a um novo mundo, esse campo veio para resolver uma sensação de acorde dominante quando o repouso é menor, trocando a estrutura básica do campo nascera um novo campo harmônico, com novas escalas e acordes.

  • Acordes e Arpejos Menor Harmônicos

    Como vimos no campo harmônico, só pelo fato de alterarmos uma nota nós ganhamos alguns acordes e escalas ainda não estudados. Vamos dar uma olhadinha neles?

  • Aplicação dos Arpejos

    Como nossa intensão sempre será obter sonoridades diferentes, vamos então testar algumas sobreposições juntos? E o principal, escutar sonoridades novas para analisarmos o que nos soa agradável ou não.

  • Digitações

    Existem diversas formas de digitarmos os intervalos gerados por esse campo harmônico, apresento nesse vídeo a forma mais comum que será com três notas por corda.

  • Aplicação da Escala Menor Harmônica

    Vamos entender onde se aplica essa escala, quais formas posso usar os arpejos para dar uma intenção modal e quais graus são mais comum para a aplicação dessa escala.

Módulo 6 - Campo Harmônico Menor Melódico

  • Campo Harmônico Menor Melódico

    Terceiro e último “mundo” a ser explorado por você nesse guia. Mais uma vez tivemos uma quebra na estrutura do campo, ou seja, vamos estudas novos intervalos e sentir novas sonoridades em nossos improvisos.

  • Aplicação de arpejos

    Nesse campo conseguimos muitas sensações sonoras incríveis pelo fato do mesmo possuir dois acordes dominantes e dois acordes meio diminuto. A sobreposição desses arpejos nos gera sonoridades muito interessantes a serem executadas.

  • Digitações

    Mundo novo, escalas novas, logicamente assim como estudado em módulos anteriores, vamos criar as digitações geradas pelo intervalo de cada modo do Campo menor Melódico e entender melhor suas conexões.

  • Aplicação Da Escala Menor Melódica

    Como era de esperar eu não poderia finalizar esse guia sem aplicarmos essa escala que para mim vem sendo uma das mais importantes na questão de escolhas modais, pois iremos conhecer sonoridades muito interessantes com essa aplicação a serem somadas aos campos já estudados.